Notícias

Corregedoria Solidária arrecada mais de 7 toneladas de alimentos

O corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Caputo Bastos, fez a entrega simbólica das cestas arrecadadas pela campanha Corregedoria Solidária às líderes da Comunidade Mandela, nessa quinta-feira (23), no edifício-sede do TRT24. Foram arrecadadas 7,2 toneladas de alimentos até o final da tarde de ontem.

O presidente do TRT/MS, desembargador André Oliveira, pontuou que o ministro aprofundou e deu uma face humana e social às atividades correicionais. “É a primeira vez que vejo um ministro que, ao se dirigir à comunidade local do tribunal regional, lança um olhar social e humano para essa comunidade”. O presidente afirmou que a campanha empreendida pelo ministro em todos os tribunais do país merece todo o reconhecimento e finalizou “nosso tribunal captou o espírito e todos os servidores, juízes e instituições parceiras se engajaram de forma absoluta nessa campanha”.

A secretária geral da presidência, Cláudia Giseli Marques, contou que em abril soube da importante missão que teria pela frente: a campanha Corregedoria Solidária. A partir de então, a secretária buscou informações junto ao FAC (Fundo de Assistência à Comunidade) sobre populações carentes na Capital que poderiam ser beneficiadas pelas doações. A comunidade Mandela foi indicada como uma das mais necessitadas, com muitas crianças e idosos. Decidiram visitar o local, conversar com as líderes e conhecer mais a situação daqueles moradores. O próximo passo foi a sensibilização de magistrados, servidores, instituições parceiras, como a Amatra-24, a PGE, a Justiça Federal e a OAB-MS. “Agradeço ao senhor, por contribuir para o nosso crescimento como ser humano”, concluiu.

A líder da comunidade Mandela, Greiciele Ferreira, agradeceu ao presidente e a toda a equipe pelo amor dedicado nessa campanha. “O pouco se torna muito e tudo que é feito com amor, flui. Se hoje temos esse alimento para doar para a comunidade é graças à união. Eu agradeço a cada um de vocês, que Deus possa abençoar a cada um de vocês”.

O ministro Caputo Bastos disse que a idéia é lançada pela corregedoria-geral, mas os regionais é que devem abraçar o projeto. “O êxito não está na quantidade. A consequência exitosa já está alcançada, conseguir que vocês comprassem essa ideia”. Falou do carinho com que sua equipe conduz a campanha pela corregedoria-geral. “Hoje eu chego com esse corredor tomado e com outras ajudas que ainda estão chegando, me dá um orgulho, me dá uma alegria pessoal muito grande, pois isso não é institucional, isso é nosso. Agradeço-os vivamente”.

Veja como foi a cerimônia:

Corregedoria Solidária

A campanha “Corregedoria Solidária” é promovida pelo gabinete do ministro Caputo Bastos, frente à Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho e visa fomentar a solidariedade entre magistrados, servidores, e prestar apoio a instituições carentes em todos os regionais durante as correições.

Em Mato Grosso do Sul, a instituição escolhida foi a Comunidade Mandela. Localizada na região norte de Campo Grande-MS, o local abriga cerca de 180 famílias, instaladas em barracos improvisados, sem água e energia elétrica regular, vivendo em situação de extrema vulnerabilidade.

A campanha tinha como objetivo inicial fornecer uma cesta básica para cada uma das 183 famílias beneficiadas. Com o trabalho de sensibilização realizado pelos organizadores, a adesão de todos na doação de valores, alimentos, cotação de preços e montagem das cestas por servidores do tribunal, a campanha superou a expectativa inicial, alcançando 351 cestas básicas com 20kg de alimentos não perecíveis.

Neste domingo, serão entregues 200 cestas básicas para as famílias cadastradas. O restante dos alimentos será entregue daqui a 30 dias.

As informações completas sobre a Campanha Corregedoria Solidária podem ser acessadas no PROAD 19799/2022.

Veja como foi a montagem das cestas básicas pelos servidores: