Menu de Navegação

Eventos

Torneio de Futebol das Comunidades Indígenas é aberto em Campo Grande

Com a presença do ministro Amaury Rodrigues do Tribunal Superior do Trabalho, foi aberto na noite dessa sexta-feira (19), o 1º Torneio de Futebol dos Jovens das Comunidades Indígenas, promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região e pelo Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul. A iniciativa inédita é do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem.

A competição reúne, neste fim de semana, 160 atletas de oito times do Estado (Campo Grande-Kadiweu, Campo Grande-Marçal de Souza, Caarapó, Dourados, Amambai, Miranda, Aquidauana/Taunay, Sidrolândia/Dois Irmãos do Buriti), representando as etnias Terena, Guarani e Kadweu.

O ministro parabenizou as equipes e disse que o torneio é uma oportunidade de aprendizado para os jovens e um momento de união para os povos indígenas. "Esse campeonato já é uma vitória, porque é o congraçamento de vocês. Esse projeto tem tudo para frutificar", garantiu Amaury Rodrigues.

A juíza do trabalho Déa Cubel Yule, que também é gestora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, explica que a competição faz parte das ações da Semana Nacional da Aprendizagem, realizada pela Justiça do Trabalho de todo o país, durante o mês de agosto. "O objetivo do programa é incentivar a permanência na escola por meio do esporte, combater a exploração da mão-de-obra infantil e fomentar o ingresso adequado ao mercado de trabalho, por meio da aprendizagem".

 

O desembargador João de Deus é o idealizador do torneio. Ele conta que começou a pensar nesse projeto em 2017, quando conheceu uma aldeia em Caarapó. "A essência é mostrar que a educação e o esporte são dois instrumentos importantes para que esses jovens possam se espelhar em outros índios que hoje são jogadores profissionais de futebol ou que, por meio do esporte e da educação, seguiram seus estudos e hoje são médicos, enfermeiros, professores", afirma o magistrado que também é gestor regional do programa de aprendizagem.

Célio Francelino Fialho é cacique da aldeia bananal, em Aquidauana, onde moram cerca de 2 mil indígenas. "O torneio traz uma esperança para a juventude de um futuro melhor. As etnias que estão aqui vão interagir, fazer amizades e ter o sonho de jogar em times profissionais. Além disso, a gente sabe que o esporte tira a ociosidade dos jovens e promove a união".

Durante a abertura do torneio, os jovens também participaram de uma oficina das profisssões, onde puderam conhecer alguns profissionais da área da segurança pública, esporte e do Direito.

Horário dos jogos
No sábado (20), às 8h, o time de Campo Grande - Kadweu enfrenta o de Sidrolândia. Em seguida, às 10h, o segundo time de Campo Grande - Marçal de Souza joga contra o de Aquidauana. Às 13h30, Dourados enfrenta Caarapó e às 15h30 é a vez de Amambai e Miranda jogarem. As partidas de sábado podem ser acompanhadas, ao vivo, clicando aqui.

No domingo (21), as semifinais ocorrem às 8h e às 10h. A final será a partir das 15h. Os vencedores ganharão troféus. O Complexo Poliesportivo Jacques da Luz fica na Rua Barreiras, s/n - Moreninhas, em Campo Grande-MS. A entrada é de graça.