Notícias Notícias

Des. Nicanor é homenageado pela rádio de Ipirá-BA em aniversário da cidade

Banner informativo da entrevista do Desembargador Nicanor de Araújo Lima para o programa Doze em ponto com a foto do Desembargador, no canto superior esquerdo a logo do programa e abaixo dados de contato.

O desembargador Nicanor de Araújo Lima foi o entrevistado na última sexta-feira (22) da rádio Serra Dourada 91.5 FM, em comemoração aos 167 anos do município de Ipirá, localizado a cerca de 100 km de Feira de Santana, na Bahia, cidade natal e onde o magistrado passou toda sua infância. A entrevista foi realizada quase 50 anos depois que o magistrado deixou a cidade, como forma de enaltecer personalidades que se destacaram ao longo dos anos.

O desembargador relembrou diversas passagens sobre sua infância e adolescência em Ipirá: as escolas onde estudou, o futebol com os amigos, os cidadãos ilustres do município. Recordou, também, de seus professores, amigos e tios, que eram comerciantes na cidade.

Para continuar os estudos, aos 17 anos, Nicanor se mudou para Brasília e teve o auxílio de alguns “anjos” em sua vida, como o irmão e o tio, que o acolheu na capital federal. De origem simples, o magistrado trabalhava durante o dia e fazia a faculdade no período noturno.

O magistrado ficou bastante emocionado ao falar de sua mãe, Isabel Dantas, que era funcionária do cartório de Ipirá e sobre a influência que ela exerceu em sua escolha para o judiciário. “Ela me criou e me deu todo o ensinamento. Foi servidora do Poder Judiciário, muito querida e muito competente e me deu todo o direcionamento para seguir na carreira jurídica”, contou. Falou também de seu pai, homem simples, músico da Banda da Aeronáutica em Salvador e, posteriormente, regente da Filarmônica de Ipirá.

Des. Nicanor começou sua carreira na 10ª Região em 1983, como assessor de desembargador e, posteriormente, ingressou na magistratura como juiz substituto, em 1989. Foi promovido juiz titular da Vara do Trabalho de Dourados, em Mato Grosso do Sul que, à época, fazia parte da 10ª Região. Depois, em 1998, foi promovido ao cargo de desembargador e, com a criação do TRT24, passou a compor a corte da 24ª Região.