Notícias

Júri simulado debate exigibilidade do passaporte vacinal no mercado de trabalho

 

O Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem Justiça do Trabalho, no âmbito do TRT da 24ª Região, realizou nesta quarta-feira (31) mais uma edição do projeto Júri Simulado, com alunos da Escola Estadual Professor José Juares Ribeiro de Oliveira, de Itaquiraí/MS. Vinte alunos do 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio, sob a orientação do diretor da Escola, Dênis H. da Silva, participaram do evento, que foi transmitido ao vivo pelo canal do TRT/MS no Youtube.

Esta é a 7ª edição do projeto e a segunda com a participação do tribunal. Para o gestor regional do Programa, desembargador João de Deus, o júri simulado pode servir de inspiração para professores e escolas. "Vocês plantaram uma semente. Apenas a educação é um instrumento maior de diminuir a desigualdade social. Ela é a ferramenta, o meio mais curto de se construir um país sério".

A Procuradora-Chefe do MPT/MS, Cândice Gabriela Arosio, observou que não é comum ver pessoas tão jovens no Pleno. A Procuradora ressaltou a relevância da iniciativa para estimular o aprendizado dos jovens. “O pensamento crítico faz com que nossa sociedade se torne melhor. Que essa oportunidade sirva para gerar em vocês o pensamento crítico. Não estamos aqui a passeio, mas para sermos agentes de mudança”, concluiu.

Para o diretor Dênis H. da Silva, o projeto tem trazido uma grande perspectiva de futuro para os alunos da escola. “É uma grande oportunidade que os alunos têm de crescer, não só pensando de forma propedêutica, com acesso à universidade, mas também como o próprio mercado de trabalho, com muitos alunos que já fazem estágio, que já estão cursando Direito, todos motivados pelo projeto Júri Simulado”, explicou.

A preparação para o Júri começa no início do ano letivo. O primeiro semestre é dedicado à pesquisa do tema e preparação dos argumentos. No 2º semestre começam as apresentações do Júri, que também será realizado em novembro, no Fórum de Itaquiraí.

De acordo com o diretor, “os pais procuram saber de antemão quando vai haver o Júri, para que os filhos participem. Mais de 140 alunos já participaram.”

Anteriormente, o projeto era extracurricular, realizado no contra turno das aulas. Com a nova matriz curricular do Ensino Médio, o projeto passou a ser inserido dentro da unidade curricular eletiva, no componente linguagem.

O Júri

Com o tema "Passaporte vacinal durante a pandemia de Covid-19", os alunos se dividiram, por meio de sorteio, em dois grupos: acusação e defesa, a fim de convencer os jurados a respeito de suas teses.

O juiz do júri simulado foi o magistrado do TRT24, Valdir Consalter Júnior. Como jurados, participaram o desembargador Marcio Thibau, os servidores do TRT24 Jarbas Gonçalves, Talita Guerra e Mateus Cominetti. Como juradas externas, a superintendente de administração das Coordenadorias Regionais da SED, Mary Nilce Peixoto dos Santos e Paula Pantalena – representando a Secretária de Estado de Educação/MS, Maria Cecília Amêndola da Mota.

Para o juiz do Trabalho Valdir Consalter Júnior, também juiz do Júri, a qualidade dos debates surpreendeu. “Fiquei abismado com a qualidade dos debates, com a desenvoltura das equipes. Achei que a defesa se valeu melhor dos recursos para expor sua tese: fizeram 1 minuto de silêncio para as vítimas da Covid-19, utilizaram recursos de vídeo e fotos. A decisão final é dos jurados, mas achei que eles souberam aproveitar muito bem”, pontuou.

A aluna do 3º ano, Nicole Brandão, 2ª vez no Júri Simulado, disse que ficou muito feliz quando foi chamada para participar pela primeira vez do projeto, em 2019. “Foi uma alegria muito grande. Participar do Júri é um objetivo de todos que entram na escola”. A estudante fez parte do grupo da defesa pela exigibilidade do passaporte vacinal, vencedora do Júri. “O nosso resultado foi fruto de muito trabalho, estudamos muito sobre o tema. Só tenho a agradecer à professora e à escola”, contou.

Já a estudante Ludyele Júlia da Silva, que compôs a acusação, afirmou que as duas partes atuaram muito bem na atividade. “Foi bem interessante, pois eu era a favor da vacina. Estudando, consegui ver o outro lado de não ser a favor da vacina. Pesquisamos por seis meses o tema, depois trabalhamos os textos, a argumentação e a linguagem corporal.”

Sobre realizar a atividade no auditório do Tribunal Pleno do TRT24, com uma platéia de cerca de 200 pessoas, teve um ar diferente.  “Esse ano deu um pouco mais de nervoso, havia mais gente olhando, havia desembargador e juiz participando” e completou “o júri simulado estimula a gente a conhecer um pouco mais do universo da oratória, do Direito, curso que penso em fazer, acho muito intrigante.”

Apoio

A última edição do Júri Simulado foi realizada em 2019, em Itaquiraí, no Fórum do município. O tema daquela edição foi "Mercado de Trabalho a partir dos 14 anos" e o júri foi presidido pelo juiz Márcio Alexandre da Silva, então gestor regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, com a participação do desembargador João de Deus.

O tribunal apóia o projeto do Júri Simulado. Por meio do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem, duas salas foram construídas e estão sendo equipadas na escola: uma que será a sala do júri simulado e outra para o projeto de robótica.